Maio 15, 2021

Casa Fernando Pessoa vai ter três novos livros que pertenceram ao poeta

Casa Fernando Pessoa vai ter três novos livros que pertenceram ao poeta

Três dos livros da biblioteca particular de Fernando Pessoa que foram a leilão na semana passada, em Lisboa, vão integrar a coleção da Casa Fernando Pessoa, confirmou o organismo ao Observador. Dois foram adquiridos pela autarquia, que exerceu direito de preferência sobre os dois lotes, e o terceiro pela EGEAC, a empresa municipal que tutela a Casa Fernando Pessoa.

Já estamos no Instagram. Junte-se a nós aqui

Os exemplares comprados pela Câmara Municipal de Lisboa, que se encontram digitalizados e disponíveis para consulta no site da Casa Fernando Pessoa, foram Political Theories of the Middle Age (1913), de Otto Gierke, e Les chansons des rues et des bois (sem data), de uma coleção de obras completas de Victor Hugo publicada em Paris. O primeiro tem a assinatura do poeta na folha de guarda e o segundo diz: “A mamã oferece o Fernando em 30/XII/1911”. Fernando Pessoa tinha uma vasta coleção de livros em línguas estrangeiras. O português estava, aliás, em minoria na sua biblioteca.

A EGEAC adquiriu no leilão organizado na quinta-feira passada pela José F. Vicente Leilões, no Palácio da Independência, o livro A Rosa de Papel. Mysterio n’um cantigo. Poêma Dramático em prosa e verso, do poeta Augusto Santa-Rita, irmão mais velho de Santa-Rita Pintor e um interveniente muito mais discreto no modernismo português, como se explica no Dicionário de Fernando Pessoa e do Modernismo Português.

A Casa Fernando Pessoa vai reabrir em 2020

Essa intervenção fez-se sobretudo através da Exílio, de que foi diretor e que teve um único número em 1916. Esta revista literária, que Mário de Sá-Carneiro descreveu como “mais ou menos paúlica”, pretendia ser “o arauto de um projeto nacionalista”, que representava uma parte do “diálogo frustrado entre o Modernismo e o Integralismo”.

Santa-Rita, que participou noutras revistas como A Águia e a Contemporânea, publicou A Rosa de Papel em 1917, numa edição da Renascença Portuguesa. O exemplar que pertenceu à biblioteca de Pessoa foi assinado por ele e diz: “Para Fernando Pessôa — Poeta que admiro”.

Veja também: Jornal inglês recomenda Campo de Ourique em artigo sobre Lisboa

Estes livros, que “serão integrados na nova exposição da Casa Fernando Pessoa, neste momento em preparação”, segundo informou o organismo, vão juntar-se a outros nove adquiridos em junho também durante um leilão organizado pela José F. Vicente Leilões.

Destes, sete foram comprados pela autarquia e dois pela EGEAC. Entre estes, contam-se, por exemplo, Bacon vs. Shakespeare, de A.M. Edwin, A Morte de D. João, de Guerra Junqueiro, e uma importante cópia da revista Athena, com anotações e correções a lápis, que são fundamentais para o estudo da obra do do heterónimo Ricardo Reis, apresentado no primeiro número da revista.

A Casa Fernando Pessoa, localizada no número 16 da Rua Coelho da Rocha, em Campo de Ourique, onde Pessoa passou os últimos anos de vida, encontra-se atualmente encerrada para obras. Deverá abrir em 2020.

Fonte: Observador

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*