Outubro 19, 2017

JF de Campo de Ourique lamenta perda e lembra a alegria contagiante de Fernanda Borsatti

 

A atriz portuguesa Fernanda Borsatti morreu hoje de manhã, aos 86 anos, no Hospital da CUF, em Lisboa, vítima de doença prolongada. Nascida em Évora, a 1 de setembro de 1931, Fernanda Borsatti viveu em Campo de Ourique durante grande parte da sua vida, onde ainda hoje é recordada pela sua alegria contagiante, até ir para a Casa do Artista, fundada em 1999 por Armando Cortez e Raul Sonado.

A actriz que em 2007 recebeu a Medalha de Mérito Municipal, no seu Grau Ouro, da Câmara Municipal de Lisboa, interpretou ao longo da sua carreira artística os mais diversos géneros teatrais. Desde revista a comédia, passando pelas peças dramáticas e por mais de dez companhias de teatro, entre as quais o Teatro Maria Vitória, a Companhia Laura Alves, a Companhia Raul Solnado, o Teatro Maria Matos e a Casa da Comédia.

A atriz integrou ainda o elenco do Teatro Nacional D. Maria II entre 1978 e 2001 tendo participado nas peças “O Bicho”, “O Tempo Feminino”, “O Fidalgo Aprendiz” ( com Ruy de Carvalho), “Passa por mim no Rossio”, “As Fúrias”, “O Crime da Aldeia Velha” e “Não Digas Nada”, entre outras. Trabalhou também com realizadores como Henrique Campos ou José Fonseca e Costa e participou nas longas metragens “Sangue Toureiro”, “Pão, Amor…e Totobola”, “Domingo à Tarde”, “O Diabo era Outro”, “O Ladrão de quem se fala”, “A mulher do próximo”, “O Querido Lilás” e “A Corte do Norte”.

Na televisão integrou séries, ‘sitcoms’ e telenovelas, como “A vida privada de Salazar”, “Doce Fugitiva”, “Inspetor Max”, “Residencial Tejo”, “Lá em casa tudo bem”, “Gente fina é outra coisa”, “Eu show Nico” ou “A Dama das Camélias”.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*