Maio 12, 2021

Dia Mundial da Poesia celebrado em Campo de Ourique com versos pendurados à janela

Casa Fernando Pessoa vai ter três novos livros que pertenceram ao poeta

No dia mundial da poesia, que se assinala a 21 de março, a Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, convida os vizinhos de Campo de Ourique a estender à janela panos com frases de poetas portugueses. Fernando Assis Pacheco, Luiza Neto Jorge, Maria Gabriela Llansol e Ruy Belo, que como Fernando Pessoa viveram em Campo de Ourique, juntam as suas palavras às do heterónimo Ricardo Reis, em panos com versos escritos, que começam esta segunda-feira a ser disponibilizados aos interessados, anunciou a Casa Fernando Pessoa, em comunicado.

Já estamos no Instagram. Junte-se a nós aqui

Os estandartes foram produzidos pela Junta de Freguesia de Campo de Ourique e pela Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, e estão disponíveis na Biblioteca/Espaço Cultural Cinema Europa para serem levantados. A ideia desta iniciativa, designada como “Poesia estendida”, é que as pessoas escolham as palavras dos poetas que mais gostarem e no dia 21 estendam os respetivos estandartes nas varandas ou janelas, para comunicar com os vizinhos da frente ou com quem passa na rua, “fazendo de Campo de Ourique um bairro de poesia”.

Dia Mundial da Poesia celebrado em Campo de Ourique com versos pendurados à janela

As frases são versos curtos ou expressões, como “Sê todo em cada coisa”, de Ricardo Reis, “Passa tanto tempo num minuto”, de Fernando Assis Pacheco, “É a casa do mundo”, de Luiza Neto Jorge, “Quem sou? Quem me chama?”, de Maria Gabriela Llansol, ou “Sem casas não haveria ruas”, de Ruy Belo. Os versos para pôr à janela estão também disponíveis na página da Casa Fernando Pessoa e permitem aceder à transcrição do poema completo.

Leia também: 26 projetos que abriram em Campo de Ourique nos últimos meses

Todos os anos, este dia, que coincide com a chegada da primavera, é celebrado pela Junta de Freguesia de Campo de Ourique e pela Casa Fernando Pessoa com uma Feira do Livro de Poesia, no Jardim da Parada, onde os editores mostram e vendem livros de poesia. Este ano, devido à pandemia, e estando a Casa Fernando Pessoa de portas fechadas, não se realizará a habitual feira, “mas os livros e a poesia continuarão a ser celebrados, a partir de casa, da varanda, da janela de quem habita Campo de Ourique“.

Estamos à sua espera no Instagram…

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*